domingo, novembro 04, 2007

POR FALAR EM SHOPENHAUER...

""O HOMEM QUE ARRANCOU DO PESAR O PRAZER ""

Depois de dar de olhos com esta frase tão fora do vulgar não podia passar à frente sem ver que homem tinha sido capaz disso. Porque, já que há tanto pesar no mundo em que estamos, quase todos, a TENTAR viver, que, 'arrancar' prazer de algo que nos rodeia e nos entristece, para usufruir de um pouco dele... conseguir esse feito era algo de extraordinário. Esse homem
chamava-se Arthur Schopenhauer, de nacionalidade alemã e era considerado, desde muito novo, um jovem filósofo. Teve uma infância de lamentar, pois o pai suicidou-se quando Arthur tinha 17 anos e a mãe levava vida de libertina. Por tudo isto, perdeu o respeito e a confiança nos outros homens. Tinha nervos, era triste, muito desconfiado e odiava as mulheres. Ele escrevia e sentia felicidade nisso. A sua vida foi muito solitária, sem família, mas, não se pode dizer que tivesse sido assim tão infeliz! Tinha um único companheiro, de quem gostava: um cãozinho. Como era muito inteligente, do pouco fez muito e conseguiu viver sem dificuldades financeiras. Aqui, dirijo-me ao meu amigo J.S. sobre o comentário que me fez àcerca deste filósofo. O que comentou não me tinha sequer passado pela cabeça. Por esse facto tenho que concordar que ele tinha razão. Na verdade, é bom que deixemos surgir o que pensamos, deixar que "acordem" as nossas próprias ideias, o modo como nós próprios vemos as coisas. Em conclusão, ler mais pela escrita do que pelas ideias, é bom e aprende-se. Não ler nada é mau e ler demasiado é mau também. Ler demais pode considerar-se uma sobrecarga de ideias diferentes umas das outras e deixar as nossas próprias ideias ao abandono.

Adelaide

5 comentários:

A. João Soares disse...

Cara Milai,
Esse JS, se não sou eu, podia ser. Ler é indispensável para obter informação sobre os inúmeros temas que devemos conhecer. Isto é uma afirmação incontroversa. Mas, tal como os medicamentos e o sal na comida, quer-se em doses adequadas. Ler demasiado pode resultar em «tresler», isto é, perder o siso de tanto ler. Não admiro os indivíduos que numa curta intervenção fazem várias citações, quando gostaríamos de saber o que eles pensam.
O homem que leu pouco e segue essas leituras como uma bíblia é perigoso pela tenacidade, a fixidez das ideias e a estreiteza da sua opinião. Mas o que leu muito e não se deu ao trabalho de fazer uma síntese pessoal de tudo isso, acaba por ser um náufrago perdido no maralhar das ondas, sem capacidade de se orientar, de ter opinião própria. Por isso que, após se adquirir informação, é preciso digeri-la, formar opinião e criar um sistema de argumentação próprio. Nem sempre é positivo aceitar sem reticências os slogans com que somos bombardeados. Não tenhamos medo de emitir opiniões diferentes da maioria, mas é preciso argumentar em sua defesa com um raciocínio lógico, coerente.
Se Shopenhauer se tivesse integrado na forma de pensar politicamente correcta da sua época, hoje o seu nome não seria conhecido. Não receou cultivar e mostrar a sua maneira de ser.
Beijos
João

Anónimo disse...

Olá Vóvó!!
Vim aqui ao teu blog, li o teu texto e nao tive palavras para o descrever!!!
Bem.....acho que devo agradecer muito por o João Soares ter dado esta ideia tão boa para a minha avó escrever um texto!!!
BJS Seb

A. João Soares disse...

Querido Sebastião,
O mérito da vóvó pertence apenas a ela, ao seu valor, cultura sensibilidade. Penso que ela se sente muito feliz por escrever, o que faz com muita qualidade. Aprecio os seus artigos e, por vezes «roubo-lhos» para os blogs em que publico, porque são pedaços de vida que merecem ser divulgados.
E não acabo sem te dar os parabéns por gostares muito da vóvó e ela de ti.
Um abração muito amigo
João

Anónimo disse...

Querido Sebastião,

Tens que ter cuidado com a tua maneira de te dirigires a pessoas com mais anos de vida do que tu.
Neste caso deverias ter dito "Sr. João Soares" e não João Soares. Como só tens 12 aninhos e és um amor tenho a certeza que vais ter mais cuidado daqui por diante. Lemnra-te que os conselhos dos avós
não devem ser esquecidos porque significam o amor que eles têm por ti.

Beijinhos da tua Vovó Milai

xt disse...

que grande conversa!!isto da internet tem o seu lado fantástico ,e fazer amigos ,(com juizo)é um deles!