terça-feira, setembro 25, 2007

O SOL DOS MEUS ENCANTOS




FOI ESTE SOL QUE ENTROU EM MIM
QUANDO ABRI A PERSIANA
AQUECEU-ME
CUROU-ME
EMPURROU A TRISTEZA, ENCHEU-ME DE ALEGRIA.
UM REMÉDIO TÃO SIMPLES
E EU NÃO SABIA...

2 comentários:

A. João Soares disse...

Mal aconselhados andam aqueles que calcorreiam o mundo da imaginação à procura da felicidade. Ela mora muito perto, de maneira muito simples, tímida e humilde, quase envergonhada. Ela está na simplicidade das coisas que nos cercam e a que nós
viramos as costas sem nelas repararmos. É uma couve que teima em crescer num terraço, são as gaivotas que nos dizem bom-dia, é o aroma de uma planta que cresce num vaso e se nela repararmos nos retribui o carinho com o seu viço e o olor da sua fragrância é uma imensidão de coisas belas que nos podem dispor bem se descermos até elas de forma a poder haver diálogo, trocas de sensações.
O sol esse potencial de energia e de vida, é a maior fonte de felicidade.
Parabéns Milai, pela sua abertura às coisas que a podem tornar feliz e arremessar a tristeza para bem longe.

Beijinhos
João

xt disse...

Que bonita a mensagem anterior,é bom saber que despertamos sentimentos!a minha mãe é sem duvida uma artista desde muito nova,quando era pequena guiava pela rua do Almada a baixo sem medo e fazia tropelias com os livros em cima da cabeça!é uma avó cheia de SOL do coração e os netos adoram-na!
Nunca se deu o devido valor,foi preciso "alguém"inventar a Internet para ela mostrar os seus dotes literários!parabéns mãe*****
Bjs
Graça