domingo, julho 12, 2009

Mais um "roubo" a que não resisti


Nós somos
Essas bugigangas
Amarfanhadas no galpão
Esse cheiro debaixo do braço
Esse hálito ao despertar
Esse canto de unha suja
Nós somos
Esse sorriso dado
na hora mais errada
Essa alma sempre ultrajada
Passo abandonado
na rua escura e vazia
Nós somos
Essa coceira
que abre ferida
Esse dente doente
Nós somos
Porque queremos a vida limpa
Só o sono
Não o pesadelo
Nós somos
O esquecimento de nós mesmos
Nós somos
O número na carteira de identidade
Toda a mais inútil futilidade
O lixo plástico
SARTRE:"Não importa o que fizeram com você, e sim o que você fez com aquilo que fizeram com você."


*******


2 comentários:

A. João Soares disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Maria Letra disse...

Pior do que ver ruas sujas é sentir a presença de almas imundas! Como poderão almas imundas entrar num projecto de limpeza dum País? Eu diria que seria aconselhável começar por tratar delas primeiro. Não? Talvez sim! Estou farta de ver o meu País conspurcado por essas almas ...
Beijinhos, amiga.
Maria Letra